quarta-feira, 20 de abril de 2016

Abril Mais Quente da História de Porto Alegre?

Até agora a resposta é um acachapante SIM! Olhando os dados da estação de referência climatológica de Porto Alegre, do INMET, temos até este momento uma média de 24,8C para o mês de abril de 2016, o que representa um enorme desvio de +4,8C em relação ao normal esperado para o mês. É a maior anomalia já vista na cidade em abril e, se continuar nesse ritmo, irá superar o desvio registrado em agosto de 2015, de +5,0C, o maior da série monitorada até então! Abaixo o mapa de anomalias no Brasil e regiões adjacentes neste mês até o presente momento:





É certamente um mês histórico para o clima da cidade e região, afinal duas anomalias dessa magnitude em um espaço tão curto de tempo jamais foi visto antes. Eu, como um aficcionado pelo tema, presumo que todo esse calor recente é resultado de uma combinação explosiva: vivemos o maior El-Niño desde 1917, cujos valores de anomalia atingiram uma sequência recorde acima +2,0C no Pacífico Equatorial (5 meses seguidos), aliada a valores baixíssimos da SOI, um índice que, quando em patamares baixos, denota uma estabilização dos jatos atmosféricos que controlam o influxo de massas de ar frio para médias latitudes como a nossa. Simplificando: as variáveis que comandam a atmosfera estão extraordinariamente propensas à criação de bloqueios sobre o Brasil, o que concentra frentes frias mais ao sul (o mapa de anomalias acima já mostra o norte da Argentina com temperaturas abaixo do normal devido à retenção das massas de ar frio sobre o país vizinho).

Entretanto, um novo componente está em jogo: os dois principais modelos de previsão do tempo, GFS e ECMWF, projetam a entrada de uma poderosíssima onda de frio sobre o sul do Brasil a partir de segunda dia 25. A força do ar frio é tão grande que seria classificada como intensa mesmo no auge do inverno. Diria ainda que, a confirmar essa tendência apontada pelos modelos, será a maior onda de frio a assolar o país desde aquela que trouxe a nevasca nas serras sulinas em 27 de agosto de 2013. Os mapas de projeção de anomalias do modelo norte-americano (GFS) para terça e quarta feira da semana que vem ilustram bem a situação.

Desvio de temperatura em relação à temperatura máxima normal para abril (terça-feira)

Desvio de temperatura em relação à temperatura máxima normal para abril (quarta-feira)


Reparem que a máxima poderá ficar até 10C abaixo do normal! É realmente um contraste muito grande, especialmente quando uma semana antes tínhamos 10C ACIMA do normal. É claramente um choque climático. Uma transição jamais vista pela Porto Alegre contemporânea. Em virtude dessa possível transição, esse histórico mês de abril caracterizado pelo calor, poderá perder o seu atual status de recordista de calor (em valores médios e de máxima absoluta) para o abril do ano de 1980, quando a média de Porto Alegre para o mês ficou em 22,3C. 

Fiz uma projeção, e esta apontou que, confirmando o cenário acima, Porto Alegre fecharia com média de 22,3C, também! Curioso, não? Bom, vamos acompanhar e ver como termina esse bizarro mês de abril. Já imagiram se o recorde de frio e calor para o mês sejam registrados no mesmo ano?



2 comentários:

  1. Como eu gostaria que as MPs chegassem com força aqui no sudeste também, cidades com menos latitude mais longitude tem mais facilidade para receber as MPs, como cuiaba, no mapa postado a mp ja teria chegado no amazonas e por mais bizarro que seja, mal teria entrado no estado de MG que está muito mais ao sul, a longitude é que determina onde o frio chega na américa do sul. Reigiões do Brasil mais propícias a entrada de MP forte: Sul, Centro Oeste e Norte. Sudeste recebe um pouco e nordeste nada. ASAS deve ter sua parcela de culpa nisso.

    ResponderExcluir
  2. O maior problema do sudeste, especialmente MG, é a Mantiqueira. Ela atua como uma barreira para a entrada de ar frio, que é raso nas latitudes baixas. Para o ar frio penetrar em Minas, somente com uma baixa no litoral do PR.

    ResponderExcluir